O cão da raça Terrier Tibetano teve origem no Tibete, como sugere seu nome, por volta do século XVIII. No Tibete, a religião faz dos animais seres tão importantes como os humanos e, por isso, o Terrier Tibetano era considerado um tipo de talismã. Eram dados de presente ao chefes de aldeia como reconhecimento pela hospedagem que os mesmos ofereciam as caravanas.

Contudo estes presentes eram sempre cães machos, o que fazia com que a raça não procriasse, e na superstição desses povos, isso traria o fim da prosperidade da aldeia. Assim, com intuito de prolongar a felicidade mantida pelos cães, segundo a crença, eles começaram o cruzamento destes cães com o Spaniel Tibetano, gerando animais muito parecidos com os tibetanos originais. Mais tarde foram levados para o interior do país onde foram cruzados com o hoje em dia conhecido como Lhasa Apso, gerando através destes cruzamentos o Terrier Tibetano que conhecemos hoje.

Características

Os cães desta raça são folgados, espertos e brincalhões. Apesar de não serem agressivos eles costumam ser desconfiados com estranhos.

Guia da raça

Fisicamente ele pode chegar a 40,5cm de altura, tem pelo duplo, fino e sedoso, seja ele ondulado ou liso. A coloração é variada, vai de branco a tricolor, não sendo aceitas somente as cores fígado e chocolate.

Saúde e higiene

Com relação a saúde do animal, eles costumam ser bem resistentes e tem expectativa de vida longa. Porém devem fazer caminhadas diárias para que o cão possa se exercitar e também deve ser levado ao veterinário regularmente, assim como a limpeza das orelhas e tosa do pelo, que também devem ser feitas com frequência.

Galeria de fotos