Claro que a escolha entre um cão macho ou fêmea varia de dono para dono, que muitas vezes opta ou prefere por um ou outro, mas é sempre bom saber algumas características de cada um para que fique mais fácil caso haja alguma dúvida.

Características das fêmeas

Primeiramente é bom desmistificar que só fêmeas dão trabalho, ou mais trabalho. É claro que elas entram no cio e neste período deve-se ter mais cuidado, principalmente se ela viverá em um ambiente onde não pode ficar longe dos “pretendentes” durante este periodo fértil.

As fêmeas (cadelas) entram no cio a cada 6 meses, ou seja, duas vezes por ano e, pensando nesse momento, já existem muitas soluções interessantes disponíveis em pet shops, especialmente para elas!

Curiosidades dos machos

Já os machos não tem esse periodo, porém é mais comum a eles que fujam de casa a procura da fêmea no cio. Há também o problema da disputa entre machos pela fêmea, que em certos casos pode acabar em brigas, gerando machucados e até mesmo uma visita ao veterinário.

Cão de guarda: macho ou fêmea?

Para cães com intenção de guarda, também há um mito de que os machos são melhores atuando nessa área. A diferença é pouca, os machos costumam guardar o território, enquanto as fêmeas as pessoas da família. E sim, os machos têm tendência de serem um pouco mais agressivos, porém, com adestramento inteligente, não é necessário agressividade para executar bem o trabalho de cão de guarda.

Depois de analisar bem o que lhe caberia melhor, fica mais fácil escolher em caso de dúvidas. Mas, independente se o cachorro é macho ou fêmea, oferecendo carinho e amor durante todas as fases de sua vida, ambos tendem a ser ótimos cães de guarda e/ou de companhia.